POLÍCIA

Falsos funcionários da Receita Federal são presos ao aplicarem golpes no Piauí

G1   14/07/2017

Quadrilha dizia vender aparelhos de ar-condicionado apreendidos por falta de espaço em depósito. Segundo a polícia, quadrilha pode ter lucrado mais de R$ 100 mil.

Divulgação

clique para ver a foto em tamanho real

Suspeito foram presos quando iriam receber R$ 30 mil da vítima

 

Policiais do 1º Distrito Policial de Teresina prenderam em flagrante nesta sexta-feira (14) três homens que se passavam por funcionários da Receita Federal para aplicar golpes. Os suspeitos abordavam empresários interessados na compra de supostas cargas de ar-condicionado. Os produtos eram apresentados às vítimas como produto apreendido.

Segundo o investigador Cleomar Brito, os falsos funcionários entravam em contato com empresários e propunham a venda de cargas. Para tentar concretizar a venda, os suspeitos de estelionato diziam serem produtos apreendidos pela Receita, mas que por falta de espaço no depósito venderiam a mercadoria.

“Os estelionatários ofereceram uma carga contendo 46 aparelhos de ar-condicionado pelo valor de R$ 40 mil. O empresário desconfiou e acionou os policiais. A negociação se passou dentro de um hospital particular de Teresina. No momento que a vítima iria fazer o pagamento os policiais deram voz de prisão ao trio”, detalhou.

O investigador explicou que o bando é suspeito de aplicar golpes que chegam a mais de R$ 100 mil, somente no Piauí. “Nós já estávamos investigando alguns casos semelhantes e nesta sexta-feira desbaratamos dessa quadrilha que é bem articulada e suspeita de causar um prejuízo muito grande no estado”, contou.

Ao serem presos, os três homens relataram que já haviam aplicado dois golpes no Piauí. O primeiro crime foi contra uma empresa de revenda de pneus no valor de R$ 40 mil. A segunda ação foi em um depósito de bebidas na quantia de R$ 18 mil. Os três suspeitos foram indiciados pelos crimes de estelionato, formação de quadrilha, usurpação de função pública e simulação da qualidade de funcionário público.

 

© 2010 Jornalista 292— Todos os direitos reservados.