PICOS

Pagamento da última parcela do crédito trabalhista das Indústrias Coelho / Piauí Têxtil começa na terça (25)

292   21/04/2017

O pagamento dos valores devidos aos trabalhadores será realizado no período de 25 a 28 de abril, das 15 às 18 horas

Divulgação

clique para ver a foto em tamanho real

Equipe da Vara do Trabalho de Picos com o representante do Grupo R. Sá (que adquiriu os imóveis), durante visita para informar o pagamento da última parcela

 

O juiz titular da Vara do Trabalho de Picos, Ferdinand Gomes dos Santos, estabeleceu o cronograma de pagamento da 4ª e última parcela do pagamento do imóvel alienado nos autos da execução processo envolvendo as Indústrias Coelho/ Piauí Têxtil. Ao todo, são R$ 4,5 milhões beneficiando cerca de 1.115 trabalhadores. 

No cronograma de pagamento consta a lista de credores, os nomes dos procuradores já habilitados nos autos, excluindo-se os que indicaram conta para transferência de valores e os credores falecidos, bem como ainda a identificação da proporção da natureza do crédito (trabalhista ou dissídio).

O pagamento dos valores devidos aos trabalhadores será realizado no período de 25 a 28 de abril, das 15 às 18 horas, improrrogavelmente, na Caixa Econômica Federal. 

Os trabalhadores deverão comparecer apenas no dia designado no cronograma e no caixa correspondente à lista que contiver seu nome, munidos de documento de identificação com foto, CPF e acompanhado do advogado, se houver.

Aqueles que não comparecerem no dia designado no cronograma apenas receberão seus créditos mediante guia de retirada, expedida e entregue pela Secretaria da Vara a partir de 26 de junho de 2017.

A Vara do Trabalho de Picos enviará, no dia 18 de maio, um ofício à Caixa Econômica Federal com a lista de contas informadas para transferência dos valores pertencentes aos credores que requereram que seus créditos fossem pagos mediante depósito em conta.

Os herdeiros dos credores falecidos, cujas habilitações já estejam deferidas, receberão seus créditos mediante guia de retirada, expedida pela Secretaria da Vara e entregues a partir do dia 22 de maio, no horário de atendimento ao público (8:00 às 18:00 horas).

Os credores que possuem crédito apenas decorrente da ação coletiva 0025100-29.2005.5.22.0103 poderão receber seus valores desacompanhados de advogado.

Durante os dias de pagamento será destacado um servidor da Vara do Trabalho de Picos para prestar informações aos trabalhadores no local e horário dos pagamentos.

Informações quanto aos valores dos créditos dos trabalhadores estão disponíveis nas planilhas anexadas aos autos do processo piloto nº 0004300-09.2007.5.22.0103 e disponíveis no balcão de atendimento ao público da Vara do Trabalho de Picos.

CONFIRA O CRONOGRAMA



SAIBA MAIS
Essa etapa é o desfecho final de um longo processo, iniciado na década de 1990, envolvendo dois grupos empresariais que se sucederam na atividade têxtil no município de Picos - Indústrias Coelho e Piauí Têxtil - e cerca de 1.250 trabalhadores. Em março de 2014, os bens foram adquiridos pelo Grupo Empresarial R Sá, de Picos, por R$ 15 milhões. Foi estabelecido que o valor fosse pago em quatro parcelas: R$ 3,5 milhões em até trinta dias após o fechamento do negócio; R$ 3,5 milhões um ano depois; R$ 3,5 milhões dois anos depois; e R$ 4,5 milhões três anos depois.

As Indústrias Coelho S/A, com sede em Petrolina-PE, instalaram-se em Picos-PI nos anos de 1960. Após uma forte crise do setor têxtil, foi arrendada pela Piauí Têxtil S/A, em 1980. Já no fim da década de 2000 a indústria, em virtude de uma crise administrativo-financeira, pôs fim à suas atividades demitindo seus funcionários sem o devido pagamento de direitos trabalhistas, que chegou a alcançar o valor aproximado de R$28 milhões. O fato gerou grande repercussão local, pois a indústria empregava parcela significativa de trabalhadores da região. Existem casos de trabalhadores com mais de 30 anos na empresa e execuções iniciadas no ano de 1990.

Em 30 de novembro de 2011, em acordo histórico conduzido pelo então juiz titular, Francílio Bibio, as Indústrias Coelho/Piauí Têxtil entregaram à Vara do Trabalho de Picos seu Parque Industrial (com todo o maquinário) e imóveis onde tal parque estava instalado, com área aproximada de 37 hectares, situados em zona urbana e valorizada do município de Picos.

O acordo previa que o Parque Industrial seria administrado pelo sindicato da categoria e as áreas de entorno seriam loteadas para alienação em hasta pública. No final de 2011 parte dos imóveis de entorno foi alienada por aproximadamente um milhão de reais e o produto distribuído aos trabalhadores, pela ordem crescente de seus créditos.
Mas diante da inviabilidade de manutenção do Parque Industrial sob administração do sindicato da categoria o juiz condutor da execução, Ferdinand Gomes dos Santos, em novembro de 2012, nomeou Administrador Judicial, desativou o Parque Industrial e colocou à venda todo o maquinário da extinta indústria. As máquinas e equipamentos foram vendidos por R$ 1,03 milhão, valor esse já distribuído aos trabalhadores.

Com o objetivo de finalizar a execução a Vara do Trabalho  de Picos colocou à venda, através de edital de 20.02.2014, os imóveis da extinta Indústria Coelho. O dinheiro arrecadado foi utilizado para pagamento dos créditos trabalhistas, honorários advocatícios, custas e contribuições previdenciárias.

 

© 2010 Jornalista 292— Todos os direitos reservados.