ARTIGO

Picos: há uma insatisfação geral

Wallysson Bernardes   07/05/2014

Sem dúvida que é um ambiente desconfortável.

Divulgação

clique para ver a foto em tamanho real

Prefeitura de Picos

 

Não aguenta mais essa política adotada em Picos ? Parece que não está só... A insatisfação parece estar a alastrar-se a todo o tipo de funções, Secretarias e nível hierárquico na Prefeitura Municipal de Picos. Apesar de existirem inúmeros motivos que levam as pessoas a não gostar dos “meios” adotados, há algumas presenças garantidas na lista das “fontes de insatisfação”. Uma insatisfação de valores políticos, éticos e morais que atingem a forma democrática que nós estabelecemos: a representação. Não consegue mais dar respostas que a sociedade precisa. O político de hoje, perante o eleitor, é um ônus que ele tem que pagar e pagar caro.

O Governo se perdeu em brigas internas, dividas, e atitudes perdidas. Sim, perdidas em sua administração e que estaria arrumando confusão até  com quem te ajudou na eleição. Praticamente um regime autoritário, seja por nunca ter correspondido às expectativas, não são raros os casos em que aliados andam falando da administração, a principal razão de descontentamento, inerente aos tempos de crise, com vínculos fictícios ou temporários, acabam por atuar como agentes desmotivadores.

Sentir-se “invisível”. Não estar entre os favoritos do chefe, está dando origem a leves “irritações” no dia-a-dia de algumas Secretarias de Governo. Mas quando a questão do favoritismo é refletida em situações relacionadas com promoções familiares, aumentos de salário, bónus, distribuição de cargos, o sentimento de desagrado é ainda maior.

Falta de reconhecimento. Ver promessas a serem constantemente esquecidas, ver alguém a apoderar-se das suas ideias, não ser ouvido em questões que interferem diretamente no seu trabalho, as queixas são as mais diversas, mas muito comuns.

Sem dúvida que é um ambiente desconfortável. Acaba por se refletir aos mais diversos níveis: saúde e principalmente na Educação, essa por sinal muito mal administrada e totalmente perdidas em suas ações, basta observar as licitações...Tem coisa que só vendo e lendo para acreditar. Esperamos que o Ministério Público esteja vendo e lendo. Esperamos.

Sobre o asfalto que estão colocando. Esse é sem um mínimo de preparo da base, simplesmente jogando em cima de terra, buracos, um verdadeiro caos. O caos do transporte escolar, no SAMU, a farra das quentinhas e a sujeira dos bairros, falarei outro dia.

Enfim. Tão comum quanto lamentável, os episódios vão se acumulando e ficando cada vez mais graves. Mas, concretamente, pelos gestos que se viu neste ano, a coisa não caminha nada bem.

E a novela continua. E a população pede, ensino com qualidade, um basta à corrupção e também pedem paz e vê que seus impostos estão sendo bem investidos, além de outros desejos.

Enfim, não tenham dúvidas, amigas e amigos: é alarmante constatar que o atual governo, neste momento, está perdido, está no mato sem cachorro. E quem conta, é a voz nas ruas.

Amigos, seguidores, leitores, todos atentos, geralmente a gente não admite os erros por causa do orgulho, mas não esqueçam Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes. É desta sabedoria que precisamos. Antes que tudo vá por água abaixo! E o que tem faltado muito, é humildade. Opiniões e sugestões da população sempre terão que ser aceitas para a construção de uma cidade mais digna, fica a dica.

Wallysson Bernardes

Historiador, Jornalista e Diretor-Geral do Jornalista 292.

 

© 2010 Jornalista 292— Todos os direitos reservados.