Publicidade  - piauieletro2

CASO MAKELLY

Acusado de matar Makelly é absolvido pelo júri por 4 a 3

Cidadeverde   05/10/2017

Divulgação

clique para ver a foto em tamanho real

Caso Makelly é o 1º julgamento por crime de homofobia contra travesti no Piauí

O julgamento de Luis Augusto Antunes foi encerrado por volta das 19h

 

Atualizada às 19h28

O julgamento de Luis Augusto Antunes foi encerrado por volta das 19h e, por 4 votos a 3, o réu foi absolvido do crime. Segundo o advogado dele, o alvará de soltura deve ser expedido na manhã desta sexta-feira (6). O acusado estava preso na penitenciária Irmão Guido. "Vamos ainda conversar com a família para saber que providência iremos tomar", disse o advogado se referindo a uma possível reparação pelo período que o acusado esteve preso.

Atualizada às 12h21

O professor Luis Augusto Antunes apontado como autor da morte da travesti Makelly Castro, 24 anos, foi ouvido durante o julgamento e disse que está preso por omissão nos depoimentos. O réu se referiu a professora Maria das Graças Ciríaco, proprietária do veículo vermelho que seria o mesmo que pegou a travesti antes de sua morte.

"Não sei quem matou. Estou detido há mais de dois anos por omissão de depoimentos. Eu usava o carro dela durante o dia para resolver problemas dela e agilizar também minha vida", declarou o réu.

Segundo ele, no dia da morte de Makelly, foi deixado em casa por Maria das Graças, por volta das 20h e só voltou a ver a professora  no outro dia pela manhã. A professora citada pelo réu já é falecida. Contudo, antes do falecimento, ela prestou depoimento e informou que não estava em Teresina no dia do crime.

Durante o interrogatório, o professor levantou a camisa para mostrar as tatuagens em seu corpo, a  pedido da defesa.

"Tenho quatro tatuagens que foram feitas em 2015: uma estrela, uma coruja,  uma torre eifel e uma bússola e um pássaro", declarou o réu que está preso há dois anos e seis em uma ala especial na penitenciária Irmão Guido.

O advogado do professor avaliou como positivo o interrogatório das testemunhas e do réu. "As testemunhas não o reconheceram como o autor da morte da Makelly. Acredito na absolvição", disse o advogado.

Para o representante do Ministério Público, a parte de instrução do julgamento  foi satisfatória e resultará na condenação do réu.

"Acreditamos que aquilo que o MP defendeu por ocasião da denúncia foi comprovado na outra fase do processo como  no Tribunal do Júri. Partiremos agora para o debate. Não tenho dúvidas que o MP, embasado na proval pericial e também em testemunhas,  haverá de pleitear a condenação do acusado nas penas estabelecidas no Código Penal na forma qualificada", disse Ubiraci Rocha.

O Ministério Público defende a condenação do réu por homicídio qualificado. A decisão deve ser anunciada na noite de hoje.

Atualizada às 11h50

A juíza Maria Zilmar Coutinho Leal, do Tribunal do Júri ouve nesta quinta-feira (5) testemunhas e o acusado do crime  da travesti Makelly Castro, 24 anos, em 2014. Entidades ligadas ao movimento LGBT participam do julgamento e confirmam que é o primeiro caso que vai a júri popular pelo crime de homofobia. O promotor Ubiraci Rocha também ressaltou que é o primeiro caso que vai a julgamento por motivação homofóbica.

Participam do julgamento representantes do Grupo Piauiense de Transexual e Travesti, o Centro de Referência e a Coordenadoria Estadual de Enfretamento a LGBTfobia.

"É um momento muito triste para nós que acompanhamos o caso. É difícil estar aqui, pois nossa  amiga não está mais entre a gente. Ela foi morta brutalmente. Estamos aqui para que o assassinado seja punido na forma da lei. A Polícia passou um ano para descobrir quem era o assassinado e ao sabermos de quem se tratava foi uma surpresa, pois ele era da nossa militância. Foi uma dor dupla: perder a nossa amiga de luta e saber que um de nossos militantes estava envolvido no crime", disse Maria Laura, membro do GPTrans (Grupo Piauiense de Transexuais e Travestis).

Para Maria Laura,  a amiga foi vítima de um 'crime de ódio', motivada pela homofobia.

"Ela foi morta por ser travesti, não respeitaram a identidade de gênero dela. Isso pesa muito em crimes de ódio. Ela foi sufocada como se o assassino enxergasse ela como um mal e quisesse estirpá-la na face da terra. A Justiça está sempre a favor de quem é contra lei. Acredito na condenação", desabafou Maria Laura.

Testemunhas de defesa

Duas testemunhas de defesa foram interrogadas pela juíza. A primeira trabalhava em um call center situado próximo ao local onde o corpo de Makelly foi encontrado.

Já a segunda testemunha conhecia o réu. Segundo ele, o professor  o contratava para que o mesmo mantivesse relação sexual com sua esposa.

"Nos conhecemos em um site de relacionamentos. Ele me contratava (mas não havia pagamento em dinheiro) para que eu mantivesse relações sexuais com a mulher dele. Tudo era filmado e fotografado. Foram quatro encontros. Ele me dizia que era uma fantasia dele", declarou a testemunha de acusação que disse ainda que o réu sempre o pegava para os programas sexuais em um veículo vermelho.

Testemunhas de acusação

Duas travestis foram arroladas como testemunhas pelo Ministério Público. As demais testemunhas de acusação não compareceram e foram dispensadas. A primeira- identificada apenas como Bárbara- declarou que sofreu uma tentativa de homicídio dois meses antes da morte de Makelly. Segundo ela, o suspeito que tentou matá-la  estava em um carro com as mesmas características do homem que pegou e levou Makelly.

"Eu não lembro do homem que tentou me matar, só que estava em um Palio vermelho,  de quatro portas e vidro fumê e tinha pressa no programa. Ele tentou me matar me dando uma 'gravata' e parece que tinha muito habilidade, sabia o que estava fazendo. Não foi golpe de uma pessoa normal. Foi muito rápido. Só recordo que era um moreno malhado.  Eu apaguei e não vi mais nada. Só não morri porque minhas colegas chegaram", declarou a testemunha.

A testemunha declarou ainda que não reconhece o réu (professor) como sendo o mesmo autor da tentativa de homicídio. "Eu nunca vi o professor por lá, mas minhas colegas sim", acrescenta.

Samara, a segunda testemunha de acusação, se pronunciou sobre a tentativa de homicídio contra Bárbara.

"Presenciei a Bárbara sendo agredida. Esse homem me ameaçou de morte e disse para eu correr, se não me matava. Ele usava óculos e tinha uma tatuagem de dragão no tórax", declarou.

Durante o depoimento das testemunhas arrolada pelo Ministério Público, o professor se manteve quase o tempo todo de cabeça baixa.

Atualizada às 10h

Seis homens e uma mulher compõem o conselho de sentença do Tribunal do Júri que vai julgar o professor universitário e jornalista Luís Augusto Antunes, 31 anos, acusado de matar a travesti Makelly Castro, 24 anos, em 2014.

O réu compareceu à audiência com a presença do advogado Gilberto Alves Ferreira. A defesa do professor diz que seu cliente é inocente e foi preso por ser negro.

"Ele é inocente. O MP e o Estado sequer conseguiram provar onde ocorreu o crime, apenas onde o corpo foi desovado. Não existem provas contra o meu cliente. Ele é negro e sempre quando há um negro em um crime e tem um branco de olhos azuis, o negro paga o pato", disse o advogado.

Comentar Enviar por e-mail Imprimir

Comentários:

Não há comentários para a matéria no momento.

Envie um comentário para a matéria.
Origem da mensagem: 54.196.201.241









Visual CAPTCHA


O JORNALISTA 292 não se responsabiliza pelas mensagens postadas como comentário das notícias, sendo estas de sua inteira responsabilidade, podendo, quando julgar algum comentário inadequado, inativá-lo ou excluí-lo de sua base de dados. Salvo confirmação de seus dados informados.

Mais Notícias:

:: Atuação da CGU investigou desvios de R$ 23 milhões

:: No Piauí, magistrado ganha mais que ministro do Supremo

:: Jovem é assassinado com onze facadas depois de ferir a ex-companheira no Piauí

:: Deputado estadual se machuca ao fugir de tentativa de assalto em Teresina

:: TRT/PI suspende prazos processuais no período de 20 de dezembro de 2017 a 20 de janeiro de 2018

:: TRT/PI abre concurso interno de remoção de servidores para as Varas de Picos e de Piripiri

:: Natal Natureza presenteou mais de 200 crianças na Praça dos Orixás

:: Firmino Filho recebe homenagens pelo aniversário de 54 anos

:: Shopping da Cidade é palco de mostra científica

:: Laudo cadavérico conclui que mulher foi queimada viva em Picos

:: Operação 24h prende no Piauí suspeito de estuprar adolescente de 13 anos

:: Amauri Jucá faz show neste sábado (16) na Praça dos Orixás

:: Guarda Municipal realiza ação para apreender celulares e drogas no Centro de Teresina

:: Agentes penitenciários ganham mais armas e equipamentos de proteção individual

:: Faculdade R.Sá lança novos cursos de Pós-graduação para 2018

+ Geral

JUSTIÇA

Atuação da CGU investigou desvios de R$ 23 milhões

18.12.2017

Operações tiveram o objetivo de combater a corrupção com apuração de desvios de recursos públicos no Estado

JUSTIÇA

TRT/PI suspende prazos processuais no período de 20 de dezembro de 2017 a 20 de janeiro de 2018

18.12.2017

A regulamentação, leva em conta, entre outros fatores, a necessidade de ajustar o calendário institucional ao novo Código de Processo Civil

JUSTIÇA

TRT/PI abre concurso interno de remoção de servidores para as Varas de Picos e de Piripiri

18.12.2017

As inscrições deverão ser realizadas, exclusivamente, mediante envio do formulário de inscrição disponível na internet e na intranet

TERESINA

Natal Natureza presenteou mais de 200 crianças na Praça dos Orixás

18.12.2017

Os pequenos são alunos de dois CMEIs localizados nas imediações da praça

Política

Firmino Filho recebe homenagens pelo aniversário de 54 anos

18.12.2017

Prefeito comemorou no centro de Teresina e no CEU Norte

TERESINA

Shopping da Cidade é palco de mostra científica

18.12.2017

A feira reuniu milhares de visitantes interessados em conhecer o trabalho dos pesquisadores

AÇÃO

Guarda Municipal realiza ação para apreender celulares e drogas no Centro de Teresina

16.12.2017

Ao todo, 17 guardas municipais participaram das ações, que foram realizadas, também, no Troca-Troca de Teresina e no Shopping da Cidade

JUSTIÇA

Agentes penitenciários ganham mais armas e equipamentos de proteção individual

16.12.2017

De acordo com a Secretaria de Justiça, de 2015 a 2017, já foram adquiridos diversos itens de segurança e armas para o sistema prisional

EDUCAÇÃO

Faculdade R.Sá lança novos cursos de Pós-graduação para 2018

16.12.2017

As matrículas acontecem entre 03 de janeiro e 06 de fevereiro de 2018

PICOS

Assessoria Jurídica do SINDSERM cobra aplicação da pena ao Prefeito e a Secretária de Saúde devido descumprimento da sentença

14.12.2017

Na última sexta-feira, (08), o Sindicato por meio de sua Assessoria Jurídica informou ao Juiz Federal o descumprimento da determinação

ESPECIAIS

Editorial

No Piauí, magistrado ganha mais que ministro do Supremo

18.12.2017

São 14 os Tribunais com magistrados recebendo além da média nacional de R$ 42,5 mil mensais.

publicidade Bio
PROCORDIS 2 Dr Wesley6 Mahogany piauieletro paoecafe9 Moreno Calçados 1 Alberto Lotação e Turismo4 Casa do Automóvel eco Bio Camisetas3 Eriberto5

JORNALISTA 292

Todos os artigos publicados, neste web site, são de inteira responsabilidade de seus autores, não refletindo obrigatoriamente a opinião do J292.

Desenvolvido por: Aroldo Santos – Soluções Web.