Publicidade  - Shopping3

ARTIGO

Nada de PT, PMDB ou PSDB. Maior partido é o da JBS. Depois, o da Odebrecht.

Fenelon Rocha   25/05/2017

Na prática, tinham governos e governantes debaixo do braço. Como poderia ser diferente?

 

Segundo os dados do TSE, as maiores bancadas da Câmara resultante das eleições de 2014 eram, pela ordem, as do PT (69 deputados), PMDB (65), PSDB (54) e PP (38). As evidências a partir das delações no âmbito da Lava Jato mostram outra coisa: os grandes partidos brasileiros eram os constituídos pelo rol de financiados pela empreiteira Odebrecht e a “rainha do bife”, a JBS.

Dos eleitos para a Câmara dos Deputados em 2014, a JBS injetou dinheiro em 165 eleitos – o que significa cerca de um terço da Casa (exatos 32,16% dos deputados). Pouco menos que a soma dos três principais partidos do governo Dilma: PT, PMDB e PP. No senado, a parcela de representantes da JBS fica até um pouco mais alta: 34,5% dos senadores – isto é, 28 dos 81 senadores, parte eleita em 2014, parte em 2010.

As delações dos executivos da Odebrecht apontaram uma representação no Senado semelhante à bancada do bife. Mas a bancada da empreiteira na Câmara fica longe da conseguida pela JBS: cerca de 40 deputados.

Mesmo considerando a superposição – parlamentares que receberam das duas mega financiadoras da política brasileira –, pode-se dizer que o número de representantes de Odebrecht e JBS é majoritária no senado e não fica muito longe da maioria também na Câmara. Podiam, sem muito esforço, ditar os rumos do país.

E o que as investigações tem mostrado é exatamente isso: Marcelo Odebrecht ditava decretos para ministros de Dilma Rousseff; Joesley Batista definia estratégias com o presidente Michel Temer. Tinham as rédeas do país nas mãos: direcionavam licitações, moldavam Medidas Provisórias, escolhiam obras a serem financiadas dentro e fora do Brasil, elegiam os beneficiados pelos recursos do BNDES etc etc.

Na prática, tinham governos e governantes debaixo do braço. Como poderia ser diferente? Todos com o rabo preso, pelo financiamento formal e, mais ainda, pela grana solta que corria por baixo dos panos.

Comentar Enviar por e-mail Imprimir

Comentários:

Não há comentários para a matéria no momento.

Envie um comentário para a matéria.
Origem da mensagem: 54.81.254.212









Visual CAPTCHA


O JORNALISTA 292 não se responsabiliza pelas mensagens postadas como comentário das notícias, sendo estas de sua inteira responsabilidade, podendo, quando julgar algum comentário inadequado, inativá-lo ou excluí-lo de sua base de dados. Salvo confirmação de seus dados informados.

Mais Notícias:

:: Funcionário da Eletrobras é preso por furto de energia; casa tinha três condicionadores de ar

:: Turista morre ao cair de brinquedo no Beach Park, na Grande Fortaleza

:: Trabalhadores da educação pública do Piauí decidem manter greve

:: Hospitais confirmam que 200 mil servidores ficam sem atendimento do Plamta

:: Jovem alérgico morre após sofrer picadas de abelhas

:: Operação Call Center: polícia indicia 21 suspeitos de aplicar golpes em compra e venda de veículos na internet

:: Catedral a 750 m da Delegacia Geral é invadida por assaltantes

:: Na política, padres encontram escândalos, processos e cadeia no Piauí

:: Lideranças do PRB articulam chapa com Dr. Pessoa governador e Frank Aguiar no Senado

:: Detento é morto após sofrer perfurações durante banho de sol

:: Irmão de ex-governador Wilson Martins morre aos 71 anos com câncer

:: Luciano denuncia desvio de 100 milhões de reais da obra da Transcerrados

:: Vereador Chaguinha denuncia Comissão de Licitação ao Ministério Público

:: O festival da mamata assola o país

:: Assembleia aprova LDO 2019 e recesso inicia quarta-feira

+ Editorial

ARTIGO

Na política, padres encontram escândalos, processos e cadeia no Piauí

15.07.2018

Mas estes casos mostram, antes de tudo, que os padres precisam fazer menos política e rezar mais.

Política

O festival da mamata assola o país

12.07.2018

Câmara, Senado e STF aproveitam o intervalo entre Copa e eleição para praticar o esporte favorito de Brasília: criar privilégios para poucos, pagos com o dinheiro de todos nós

ARTIGO

Quem ganha com a desmoralização da Justiça?

10.07.2018

A sua presidente, a ministra Cármen Lúcia, se limitou a emitir uma nota xoxa e não tomou qualquer decisão.

ARTIGO

Vergonha alheia: de tão banal, a corrupção já não escandaliza

05.07.2018

Infelizmente, no Brasil, as pessoas se acostumaram com os escândalos

ARTIGO

PT do Piauí faz jogo profissional

07.06.2018

Se os aliados fazem tanta questão da aliança com o PT para a eleição de deputado, o partido pode até ceder, desde que os aliados não briguem

ARTIGO

Campanha para baixar imposto dos combustíveis começa com erros

31.05.2018

E o Governo do Estado já avisou que não baixa o imposto dos combustíveis nem que a vaca tussa.

ARTIGO

Uma nova farra de criação de municípios

22.05.2018

E, no final, todos os brasileiros pagam mais essa conta

ARTIGO

E a Barragem de Castelo, ó!

16.04.2018

Continuou o mesmo verão de promessa e seguiu-se um apagão. Ninguém mais falou no assunto

ARTIGO

Dilma mete Wellington Dias em saia justa

10.04.2018

A mágoa de Dilma era também a mesma de boa parte do PT até pouco tempo.

ARTIGO

Entre o bom senso e a loucura

06.04.2018

Lula tem mais é que se entregar

ESPECIAIS

Editorial

Na política, padres encontram escândalos, processos e cadeia no Piauí

15.07.2018

Mas estes casos mostram, antes de tudo, que os padres precisam fazer menos política e rezar mais.

publicidade livio4
Bio apaas Dr Wesley6 piauieletro eco Moreno Calçados 1 honda6 Alberto Lotação e Turismo4 Casa do Automóvel Williamns Lopes5

JORNALISTA 292

Todos os artigos publicados, neste web site, são de inteira responsabilidade de seus autores, não refletindo obrigatoriamente a opinião do J292.

Desenvolvido por: Aroldo Santos – Soluções Web.