Publicidade  - Alberto Lotação e Turismo7

OPINIÃO

Reflexos do plebiscito no Pará

Zózimo Tavares   13/12/2011

Como a maior parte do eleitorado estadual se concentra numa faixa que pega de Floriano a Oeiras e Picos e desce até Parnaíba/Luís Correia, a decisão sobre a divisão do Piauí estará nas mãos desses eleitores

O resultado do plebiscito no Pará animou os que são contra a divisão do Piauí, mas não desanimou os que defendem a criação do Gurgueia. O plebiscito, realizado domingo passado, resultou na rejeição da divisão do Pará para criação dos Estados do Carajás e Tapajós. O resultado do plebiscito no Pará foi antecipado pelas pesquisas de intenção de voto.

Apesar da derrota, o sentimento separatista nas regiões de Tapajós e Carajás não acabou. Novas propostas divisionistas surgirão. Redutos do separatismo, Marabá e Santarém tiveram votações superiores a 90% favoráveis à divisão do Pará. O recorde foi em Santarém, que seria a possível capital do Tapajós: 98,6% disseram "sim" à criação do novo Estado. O município tem cerca de 200 mil eleitores. Em Marabá, na região do Carajás, a divisão foi aprovada por 93,2% dos eleitores. Existem 100 mil eleitores na cidade. 

O diferencial, porém, foi a votação de Belém, que concentra a maior parte do eleitorado, com praticamente 1 milhão de eleitores: 94,8% foram contra o Carajás e 93,8% votaram contra o Tapajós. Após o resultado, o governador do Pará, Simão Jatene (PSDB), declarou que um dos "grandes desafios" agora será tratar dos ressentimentos que surgiram durante a campanha pró e contra o desmembramento.

A campanha pela divisão do Pará estava mais avançada do que a da criação do Gurgueia, tanto do ponto de vista técnico quanto do político. Ela foi cumprida segundo o protocolo: foi apresentado projeto no Congresso, foi marcado o plebiscito, houve campanha contra e a favor e o eleitorado decidiu. A proposta sobre o Gurgueia dorme em alguma gaveta do Congresso Nacional... Por enquanto, é só de boca.

O Piauí tem uma situação parecida e ao mesmo tempo diferente da que se verifica no Pará. É parecida porque os mais interessados na divisão do Estado - os moradores do Gurgueia - são poucos. Eles somam aproximadamente um terço do eleitorado do Piauí.

Como a maior parte do eleitorado estadual se concentra numa faixa que pega de Floriano a Oeiras e Picos e desce até Parnaíba/Luís Correia, a decisão sobre a divisão do Piauí estará nas mãos desses eleitores, se os piauienses vierem a ser convocados a se manifestar em plebiscito sobre a divisão do Estado. E a situação é diferente porque, do lado de cá, tem muito gurgueiano infiltrado.

Comentar Enviar por e-mail Imprimir

Comentários:

Não há comentários para a matéria no momento.

Envie um comentário para a matéria.
Origem da mensagem: 54.162.108.167









Visual CAPTCHA


O JORNALISTA 292 não se responsabiliza pelas mensagens postadas como comentário das notícias, sendo estas de sua inteira responsabilidade, podendo, quando julgar algum comentário inadequado, inativá-lo ou excluí-lo de sua base de dados. Salvo confirmação de seus dados informados.

Mais Notícias:

:: Parabéns ao Jovem Guilherme Araújo, pela aprovação no exame da OAB- SP

:: Picos: Homem é preso transportando madeira com documento falso

:: Pesquisadores da Alemanha realizarão pesquisas sobre trânsito em Picos

:: Seminaristas da Diocese de Picos serão admitidos às Ordens Sacras

:: Morto em briga de gangue em Teresina já foi preso 10 vezes

:: Após 35 mortes em seis meses, prefeitos cobram ao DNIT soluções para BR-135

:: TCE-PI acata recurso e aprova as contas de Gil Paraibano

:: Casada e mãe, Stefhany Absoluta se dedica à carreira gospel

:: Irmã de garota morta por namorado está com traumatismo craniano

:: Juiz usa decisão do STJ e condena menores por estupro coletivo em Uruçui

:: Tenente do Exército confessa em depoimento ter matado namorada, diz polícia civil

:: Fardados de carteiros, homens assaltam agência dos Correios em Piripiri

:: Teresina recebe investimento em recuperação de pavimentação e canaletas

:: Secretaria da Mulher recebe intercambistas de Hong Kong e da Colômbia

:: Professor cria projeto para ensinar a refletir sobre conteúdo de geografia

+ Brasil

ARTIGO

Violência entra na campanha

08.09.2014

A pesquisa mostra que, entre 2000 e 2010, a taxa de homicídios cresceu 119,5% em Teresina e 436,3% no interior.

ARTIGO

O governismo do PT

10.02.2012

A legenda tem crescido nas cidades pequenas e médias, mas acompanha com maior atenção o grupo de 118 municípios com mais de 150 mil eleitores (à exceção de Palmas, com 140.245),

OPINIÃO

Ensino reprovado

09.02.2012

A exemplo do que ocorre em outros rankings, alguns pequenos municípios se destacam, como Cândido Rodrigues, em São Paulo, e Cocal dos Alves, no Piauí.

ARTIGO

Por que Dilma não veio

06.02.2012

Desde o fechamento do aeroporto de Floriano, os aviões que vão para a região aterrissam e decolam em Jerumenha, num campo de pouso

ARTIGO

Carnaúba perde seu maior defensor

01.02.2012

Ser um homem de bem, dedicado à família, ao trabalho e aos amigos, foi sem dúvida o que o diferenciou entre seus contemporâneos e o fará viver na lembrança e na saudade

OPINIÃO

A luta contra as drogas

31.01.2012

O fechamento dos CSUs retirou da juventude opções saudáveis de lazer, esporte, cultura e convivência social.

OPINIÃO

Promotores abandonam investigação

25.01.2012

O subprocurador e os três promotores de Justiça decidiram ingressar, então, com ação em Brasília para impedir a transferência do caso para a polícia estadual

OPINIÃO

Reviravolta em Oeiras

23.01.2012

As últimas tiveram e as próximas terão dois filhos dos velhos caciques na disputa, um de cada. O povo, pelo visto, gosta! E a terra, como canta seu hino, segue invicta!

ARTIGO

Lição que não aprendemos

21.01.2012

Os personagens dessa história: Petrônio Portella, Pedro da Silva Ribeiro e Paulo Nunes. A escola é a Eurípides de Aguiar, no bairro Marquês

OPINIÃO

Burocrata em primeiro lugar

19.01.2012

Ora, e desde quando é proibido que os alunos da rede pública frequentem escola bem localizada e com boa estrutura?

ESPECIAIS

Editorial

Nada de PT, PMDB ou PSDB. Maior partido é o da JBS. Depois, o da Odebrecht.

25.05.2017

Na prática, tinham governos e governantes debaixo do braço. Como poderia ser diferente?

publicidade apaas
honda6 Bio PROCORDIS 2 Alberto Lotação e Turismo4 Kildary6 Moreno Calçados 1 paoecafe9 rsa4 Camisetas3 Casa do Automóvel clinica11 piauieletro

JORNALISTA 292

Todos os artigos publicados, neste web site, são de inteira responsabilidade de seus autores, não refletindo obrigatoriamente a opinião do J292.

Desenvolvido por: Aroldo Santos – Soluções Web.